Buscar
  • Patrícia Catalão

Magazine Imobiliário | O MAIS PORTUGUÊS HOTEL DO MUNDO

Atualizado: 2 de Out de 2019



A apresentação do projecto ‘O Mais Português Hotel do Mundo’ decorreu no Pavilhão Multiusos da FIL, da Bolsa de Turismo de Lisboa, e conseguiu aguçar a curiosidade quer dos players do turismo, quer dos visitantes, para um projecto 100% made in Portugal.


Paulo Rodrigues, gestor da feira Alimentaria & Horexpo, explicou que a razão que levou à apresentação deste projecto na BTL prende-se com o facto de na feira turística “circular o target, a nível de visitantes, que queremos atingir e atrair para a nossa feira”, dedicada à Hotelaria e Restauração, a qual vai decorrer de 4 a 6 de Junho na FIL e onde poderão ser conhecidos “mais desenvolvimentos” deste projecto que pretende ser um agregador da “excelência dos produtos portugueses”.


O repto de criar um conceito turístico inovador foi lançado à arquitecta de Interiores Joana Beirão que se encontra a coordenar todo o projecto. Confessando que inicialmente partiu do conceito de criar ‘o mais pequeno hotel de Portugal’, rapidamente percebeu que “já existia” e era um “conceito gasto”. A sua inspiração conduziu-a, então, a um “conceito mais focado no que é português”, até porque como salientou, “o turista quer ver o que é nosso”. Assim, nasceu o “Mais Português Hotel do Mundo” que mostra o “que é único em Portugal e o que nos faz universais”, acrescenta a arquitecta de interiores.


Em termos práticos, este projecto, ainda um protótipo, pretende ser um hotel 100% made in Portugal desde a fase de idealização do conceito, passando pela concepção arquitectónica e de interiores, pelo recurso a matérias e materiais… até à colocação da última pedra, última árvore… É também um conceito em permanente evolução, uma vez que, à medida que vai ganhando forma, mais empresas portuguesas vão-se associando a esta iniciativa.


Para já o Grupo Hoti Hoteis revelou que está interessado em participar neste novo espaço hoteleiro; assim como várias marcas de produtos nacionais já aderiram a este ‘movimento’, nomeadamente nos projectos de arquitectura e design de interiores como é o caso da CIN, Colunex, Renova, Margres Ceramic Tiles, A Linha da Vizinha, Cristina Roque do Vale, Gorreana, Malo Tojo Wines, Mean Sardine, Positive Wine, Smeg, Varáveis Contínuas, entre outras.


Este é um projecto que mostra também, como Joana Beirão realça, “o bom profissionalismo português”, lamentando que “nem sempre se dá a devida atenção aos arquitectos e designer de interiores na concepção de um hotel”. Por isso, convidou “cinco excelentes arquitectas/designs de interiores”, algumas das quais já com projectos desenvolvidos na área da hotelaria e na requalificação de alojamento, e que, através do seu trabalho neste projecto, acabam por ser “mediadoras daquilo que o turista quer usufruir”.


Foi assim que uma das áreas do Pavilhão Multiusos da FIL, na BTL, se transformou na recriação ao ‘vivo’ de uma hipotética unidade hoteleira pela mão de cinco criativas.


Margarida Bugarim foi responsável pela zona da Recepção que, como explicou, recorreu a “produtos portugueses” e pretendeu traduzir a ideia de “espaço inacabado” mas que “terá o seu desfecho em Junho” na Horexpo.


Inês Cesteiro, do atelier Às duas por três (que faz dupla com Sónia Rodrigues), criou o Lounge. A ideia original “partiu da história da Princesa e a Ervilha” e partindo do “seu desconforto”, pretendeu-se “escolher empresas portuguesas para trazer conforto e emoção da cor” a este projecto, de que é exemplo a Colunex.


O andaime colocado bem atrás da zona de Bar deu a ideia a Patrícia Catalão de trazer para este espaço “a arquitectura industrial”, lembrando que os “edifícios fabris podem ter uma nova utilização”, dando como exemplo os hotéis. O bar inserido no espaço ‘Lisbon Calling’ pretendeu, assim, “chamar todas as pessoas para usufruir deste espaço”.


Alexandra Madeira foi a mentora da Zona de Estar onde imperam as “linhas e os elementos orgânicos” e onde não faltam apontamentos em cartão, cortiça ou lã. A par do Bar, esta zona tem sido muito utilizada na BTL, o que leva Alexandra Madeira a declarar que “pretendia-se que usufruíssem deste espaço e a sua missão foi cumprida”.


‘Last but not least’, Carla Gago abriu as ‘portas’ do hotel para a criação do Espaço Exterior onde é evocado o nosso País: “Com um clima, luz e vistas fantásticas”. Na BTL a criadora deixou apenas um rasgo do que vai ser no futuro este espaço e, como diz, “ainda há muito por fazer”.


Esta área expositiva pretende, assim, sensibilizar os players do sector do Turismo para a excelência dos produtos portugueses, para a importância do processo criativo e para a contratação de profissionais no tratamento dos interiores dos vários tecidos turísticos existentes e emergentes no mercado português e internacional, quer sejam hotéis, hostels, aldeamentos, turismo de habitação, turismo em espaço rural, etc.


A BTL é, assim, o palco escolhido para a realização de um trabalho criativo de instalações e apontamentos com produtos ligados à Decoração, Produto e Serviço Hotéis que visam lançar a ideia e despertar a curiosidade para que na Horexpo se apresente ‘O Mais Português Hotel Do Mundo’, através do maior número de presenças de soluções portuguesas, dirigidas para as várias tipologias turísticas e para as diversas divisões do espaço de alojamento e serviços associados.


http://www.magazineimobiliario.com/index.php/turismo/6100-o-mais-portugues-hotel-do-mundo


0 visualização

_

architect

_

Tel + 351 963 003 978
geral@arqpatriciacatalao.pt

Rua Prof. Prado Coelho nº24, 1º Dto

1600-654 Lisboa

© 2019 Patrícia Catalão

  • White LinkedIn Icon
  • White Instagram Icon
  • White Pinterest Icon